TRANSPORTES

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Bom
Avião Bom

Colunistas

Texto:
+
-
Bia Willcox

Bia Willcox -

Amores Cariocas

Tentações

00:00 / 00:00

“Se o seu olho direito o fizer pecar, arranque-o e lance-o fora. É melhor perder uma parte do seu corpo do que ser todo ele lançado no inferno.”

Mateus disse isso no Capitulo 5, versiculo 29.

Na verdade, ele falava de tentações. A culpa de ceder a uma tentação e ser levado ao Inferno levava à possibilidade metafórica da automutilação.

Basta entregarmo-nos a desejos proibidos para nos mergulharmos numa culpa bíblica.

E como vencer a vontade do que não devemos querer? Por que vencer o nosso desejo? Afinal, somos animais instintivos ou nascemos com o chip do controle de nossos impulsos, bastando ativá-los?

Sei que essas perguntas nao têm respostas certas ou erradas e que não conseguiremos chegar a uma conclusão única, queridos ouvintes. Mas compartilhar meus pensamentos com vocês, com certeza nos ajudará a entender melhor o ser humano.

Vivemos em sociedade sob regras de conduta - algumas regras vindas de lei e regulamentação jurídica e outras regras éticas e morais que pautam (ou deveriam pautar) as nossas ações.

Por que é tão difícil vencer todas as tentações por que passamos?

Há tentações que só fazem mal a nós mesmos. Pode ser  péssimo ceder a elas mas não causamos prejuízo a ninguém além de nós mesmos. Trata-se do exemplo clássico do doce da geladeira que roubamos de lá e comemos sem podermos.

Já outras tentações, aquelas ligadas ao que é legal ou ilegal, moral ou imoral, podem muitas vezes prejudicar profundamente terceiros envolvidos e, mesmo assim, muitas vezes as pessoas fraquejam em situações  que vão desde um esquema de propina, um desvio de dinheiro, um roubo pequeno ou grande, a uma traição afetiva ou sexual, uma fofoca maledicente e irresponsavel ou uma trapaça. Tentações do bolso, da carne, da língua, de poder.

Por que caímos nela? 

Por que fazemos tantas pessoas sofrerem por não segurarmos nosso desejo primal?

O que fazermos para minimizar as consequências muitas vezes desastrosas de se seguir instintos e vontades? 

Devemos ser menos egoístas? Mais racionais? Termos empatia e pé no chão? Sermos mais caretas? Valorosos?

Quem sabe desde pequenos trabalharmos Direito e Ética na escola? A melhor saída sempre é pela Educação.

Mas eu não tenho respostas, infelizmente.

Se tiverem, compartilhem comigo.

O que sei, é que tirar a venda dos olhos  e do instinto humano quase  inevitável,  é um bom começo de luta - como se na nossa dualidade humana, lutássemos para que o bem vença o mal. Lembrando que esse mal, não necessariamente o Inferno, é a dor e sofrimento que podemos causar a terceiros e até a nós mesmos. 

“Cada um é provado ao ser atraído e seduzido pelo seu próprio desejo.”  Tiago no capitulo 1, verdiculo 14.

Beijos humanos da Bia Willcox

Outras Notícias

  • quinta-feira,13 de setembro de 2018

    15h59

    Cidadãos Digitais

    00:00 / 00:00

    Somos livres para dizer o que pensamos, mas tudo com cautela e respeito.

  • terça-feira,11 de setembro de 2018

  • terça-feira,28 de agosto de 2018

    14h36

    Grupos de WhatsApp

    00:00 / 00:00

    O quanto você se diverte, se estressa ou se entende nos grupos?

  • quinta-feira,23 de agosto de 2018

    12h50

    Propósito de vida

    00:00 / 00:00

    Propósito, seja ele corporativo ou de vida pessoal, é algo inerente a quem pensa e a quem vive.

  • terça-feira,14 de agosto de 2018