TRANSPORTE
NO RIO

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Bom
Avião Bom
Após suspensão, Detran volta a emitir documentos - Editoriais - Band News FM

Cidade

Texto:
+
-

Após suspensão, Detran volta a emitir documentos

Por Christiano Pinho, às 09/11/2018 - 12:12

A emissão de documentos de habilitação e identificação será normalizada ainda hoje e a de veículos, na segunda-feira (12)

00:00 / 00:00

Os postos estavam somente entregando protocolos de atendimento (Foto: Christiano Pinho)

A emissão de documentos de veículos no Detran do Rio vai ser normalizada a partir da próxima segunda-feira (12), de acordo com o órgão. Já a entrega de documentação referente à habilitação e identificação entrou em processo de regularização nesta sexta-feira (9), dia em que muitos usuários do Departamento tiveram dificuldades, sobretudo durante a manhã, por causa da suspensão do serviço.

De acordo com a autarquia, o motivo para a interrupção da emissão de documentos foi a exoneração do presidente Leonardo Silva Jacob, preso um dia antes, acusado pelo Ministério Público Federal de fazer parte de um esquema criminoso envolvendo parlamentares da Assembleia Legislativa.

Ainda em nota, o Detran informou que sem a assinatura eletrônica do mandatário a documentação não teria validação. Somente no fim da manhã desta sexta-feira (9), o governador Luiz Fernando Pezão assinou um decreto designando a diretora administrativa do órgão, Fernanda Pereira Curdi, como responsável interina.

Antes da assinatura, quem buscava atendimento em algum posto do estado deixava o local de mãos abanando. Os usuários que não conseguiram retirar os documentos poderão retornar à mesma unidade em que foram atendidos, a partir da próxima segunda-feira (12), segundo o Detran.

Luiz Fernando Pezão também definiu, em decreto publicado no Diário Oficial nesta sexta-feira (9), que o responsável pela Casa Civil, Sérgio Pimentel, vai acumular interinamente o cargo de Secretário de Governo, que ficou vago após a exoneração de Affonso Monnerat, também preso durante a Operação Furna da Onça.

De acordo com o Ministério Público Federal, durante o segundo mandato de Cabral, entre 2011 e 2014, pelo menos R$ 54,5 milhões em propina foram pagos a deputados estaduais que defendiam os interesses do então governador na Alerj. Outra moeda de troca utilizada no esquema era o loteamento de cargos por indicações dos parlamentares, em especial, no Detran.

Ouça a reportagem completa clicando no player de áudio.

NEWSLETTER
OU