TRANSPORTES

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Bom
Avião Bom
Mãe responsabiliza PMs por morte de filho em Costa Barros - Editoriais - Band News FM

Cidade

Texto:
+
-

Mãe responsabiliza PMs por morte de filho em Costa Barros

Laura Ramos deve prestar depoimento nesta sexta-feira (11)

Por Daniella Dias, às 11/01/2019 - 10:15

Laura Ramos acusa policiais militares de atirarem no filho, no fim do ano passado. (Foto: Reprodução)

Com olhar e voz firmes, Laura Ramos relembra o dia em que o filho adolescente pediu para sair com os amigos e foi impedido por ela por preocupação com a violênca. A história do relacionamento entre mãe e filho, foi apenas uma das muitas contadas em meio a perguntas da repórter sobre uma denúncia. Em frente à entrada do Ministério Público, onde prestou depoimento nesta sexta-feira, Laura relembrava as características de Lucas de Azevedo que, segundo ela, foi baleado, arrastado e morto por policiais militares no dia 30 de dezembro em Costa Barros, na Zona Norte. Horas antes Laura foi chamada pela Promotoria de Justiça junto a Auditoria Militar para prestar depoimento./ O órgão pretende, na próxima semana, ouvir uma testemunha que viu a suposta ação dos policiais. Na mesma semana, a mãe do jovem deve comparecer à Corregedoria da Polícia Militar novamente, onde fez a denúncia do caso.

Os tiros nas costas, no pescoço e na cabeça ainda são lembrados por Laura que só conseguiu reconhecer o filho no Hospital Estadual Carlos Chagas... ao olhar o pé.

No dia da morte de Lucas, a família se arrumava para viajar para a Costa Verde Fluminense, onde passaria o ano novo. O óbito foi registrado pelos policiais na Central de Garantias como auto de resistência. Segundo os quatro PMs, que continuam atuando nas ruas, Lucas teria atirado contra a viatura, no entanto, nenhuma arma foi encontrada com o jovem.

Além dos depoimentos de moradores, um boné tem sido usado pela mãe como prova de que o filho foi mais um inocente morto pela polícia./ Dessa vez, com o olhar distante, Laura diz que a peça ficou na rua onde o filho foi atingido de raspão.

O boné não teve perfurações dos tiros, o que, segundo a mãe, comprova que os policiais retiraram Lucas de onde ele levou o primeiro disparo, escutado por ela que estava dentro de casa, para matar em outro lugar.

Mãe e filho conheciam de perto a realidade da violência praticada no conjunto de favelas contra os moradores. Lucas era amigo dos cinco jovens mortos após terem o carro metralhado por mais de 100 tiros pela Polícia Militar. Segundo Laura, o filho nunca tinha sido parado pela polícia. De acordo os policiais, drogas e um rádio transmissor foram encontrados com ele. Lucas não tinha passagens pela polícia. 

Adenúncia da mãe, que além de lutar contra um câncer no pulmão agora luta pela imagem do filho, é investigada pela Polícia Civil e apurada pela Polícia Militar.

NEWSLETTER
OU