TRANSPORTES

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Bom
Avião Bom
Prisão em flagrante dos acusados do assassinato de Marielle e Anderson é convertida para preventiva - Editoriais - Band News FM

Justiça

Texto:
+
-

Prisão em flagrante dos acusados do assassinato de Marielle e Anderson é convertida para preventiva

Esta decisão não tem relação direta com a investigação a respeito dos assassinatos da vereadora e do motorista

Por Daniella Dias, às 14/03/2019 - 16:20

A audiência de custódia foi realizada na Cadeia Pública de Benfica (Foto: Daniela Dias)

Após audiência de custódia realizada na Cadeia Pública de Benfica, na Zona Norte do Rio, a Justiça decidiu converter a prisão em flagrante para preventiva do policial militar reformado, Ronnie Lessa e do ex-PM Élcio Vieira de Queiroz por posse ilegal de armas de uso restrito.

Esse é o segundo processo ao qual eles respondem. O primeiro, é a acusação de que teriam participado da execução de Marielle Franco e Anderson Gomes. O crime completou um ano nesta quinta-feira (14).

Além da dupla, Alexandre Mota de Souza, preso em flagrante no dia da Operação Lume com 117 fuzis desmontados, também teve mandado de prisão preventiva expedido. As armas eram, segundo a Polícia Civil, de Ronnie Lessa e estavam na casa de Alexandre.

De acordo com o advogado de Ronnie Lessa, Fernando Santana, o material encontrado era para a montagem de armas de airsoft.

Apesar de ser um produto pirata, o material apreendido tem o mesmo potencial destrutivo de um fuzil original, segundo a Polícia Civil.

Na última quarta-feira (13), Ronnie e Alexandre foram ouvidos a respeito dos fuzis encontrados. A polícia acredita que o PM reformado é o dono do armamento.

Já Élcio de Queiroz teve o mandado expedido por possuir duas armas em casa no momento da prisão.

Questionado se deporia novamente sobre o caso Marielle, o advogado dele, Henrique Telles, afirmou que Élcio ainda não depôs sobre a acusação de que estaria envolvido no crime.

O Ministério Público do Rio solicitou a transferência de Ronnie Lessa e Élcio Queiroz para um presídio federal, no entanto, a defesa do policial militar reformado quer que ele seja transferido para o Batalhão Especial Prisional, em Niterói, na Região Metropolitana.

NEWSLETTER
OU