TRANSPORTES

Metrô Bom
Navio Bom
Trem Bom
Avião Bom
Ronnie Lessa teria depositado R$ 100 mil em sua conta, diz Polícia Civil - Editoriais - Band News FM

Polícia

Texto:
+
-

Ronnie Lessa teria depositado R$ 100 mil em sua conta, diz Polícia Civil

Um relatório do Coaf, apontou a movimentação financeira atípica na conta do acusado de ter assassinado Marielle e Anderson

Por Marcus Sadok e Luanna Bernandes, às 15/03/2019 - 12:54

00:00 / 00:00

Élcio Vieira e Ronnie Lessa são acusados pela morte de Marielle Franco e Anderson Gomes (Foto: Reprodução)

No dia em que a Justiça aceitou a denúncia contra os dois acusados das mortes da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, Ronnie Lessa e Elcio de Queiroz foram transferidos para o Complexo Penitenciário de Gericinó.

Ambos serão encaminhados para um presídio federal, mas ainda não há uma data para isso acontecer.

Os dois vão responder por duplo homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, emboscada e recurso que dificultou a defesa da vítima), tentativa de homicídio contra a assessora que sobreviveu e também por crime de receptação.

Nesta sexta-feira, a Polícia Civil tentou ouvir os presos, mas eles optaram por só responder em juízo. O advogado de Élcio, Henrique Telles, adiantou ainda que o cliente não deve fazer delação premiada.

A Divisão de Homicídios começou a investigar o sargento Ronnie Lessa após ter recebido uma denúncia anônima.

Segundo as investigações, o crime teria sido encomendado por 200 mil reais.

A Polícia Civil confirmou que Ronnie Lessa fez um depósito em dinheiro vivo na própria conta no valor de 100 mil reais, sete meses após os assassinatos.

A transação foi considerada atípica pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras.

A Polícia agora faz o rastreamento dos dados bancários do acusado de matar a parlamentar e o motorista.

Na casa de um amigo de Ronnie Lessa, os policiais apreenderam 117 fuzis desmontados. Alexandre Mota de Souza também foi preso e já está no Complexo Penitenciário de Gericinó. As armas na casa dele seriam de Ronnie Lessa.

Para a Polícia, Alexandre era o laranja de Ronnie.

Na quinta-feira, a Justiça decidiu converter a prisão dos três em preventiva.

Na denúncia oferecida à justiça, o Ministério Público destacou que o patrimônio de Lessa é incompatível com os rendimentos dele. Além de morar em um condomínio de luxo na Barra da Tijuca, Zona Oeste, ele seria proprietário de dois automóveis, um deles avaliado em 150 mil reais, e de uma lancha de 600 mil.

A defesa de Ronnie Lessa disse que não teve acesso ao relatório do COAF que apontou uma movimentação atípica de 100 mil reais nas contas do policial militar reformado meses depois do crime.

NEWSLETTER
OU